11 de jul de 2011

Chegando em Valle Fértil...

Saimos de Mendoza e fazia muito frio (como sempre né) vou tentar não falar nisso de novo. Depois de poucos quilômetros de estrada a paisagem começou a ficar cada vez mais inóspita, essa viagem foi muito loca! Passamos por um lixão, várias lugares estranhos, até que chegamos no deserto! Tudo muito seco, placas de rios que não tinham água, quilômetros e quilômetros de nada!!!!

Peregrino no deserto =)

Olha a placa no meio do caminho...

1,60 de água no meio
do deserto! Hein???

Uns quilômetros depois começamos a passar no meio de pequenas montanhas que fazem parte da cordilheira dos Andes...

Melhorou o visual =D

Ahhh e essas homenagens super comuns ao longo de todas as estradas que passamos por aqui a alguém que morreu.

Ainda não descobri pra que a garrafa de água...

Não sei o que é isso mas estava no nosso caminho também...

Humm que fome!

Estava no nosso roteiro conhecer a Difunta Correa, estranho né?! Eu disse que essa viagem tinha sido esquisita. Na verdade, a palavra difunta por aqui tem mais um sentido mais de falecida. É uma mulher que foi encontrada morta aqui no meio desse deserto e seu filho amamentava no seu peito, mesmo ela já tendo falecido e ele sobreviveu. E claro que virou santa e agora todo mundo faz pedido pra Difunta Correa.... Bem cada um com suas crenças...

Reconstituição dos fatos

Pedem casa pra Difunta

Carro, caminhão, moto...

Como o Rafa que tinha feito nossa rota a gente tava meio perdido. E comecei a pedir pra Difunta Correa ajudar a gente a chegar no destino! =P

Difunta é pra cá mesmo???

Ahh eu adoro a estrada! =)

No meio da estrada um guarda nos parou só por curiosidade e ficou perguntando pra onde a gente ía, porque, quando, onde e doido pra encontrar alguma coisa errada e nos avisou que tinha muitos animais soltos na pista e eu vi de tudo! As vacas tem certeza que a pista faz parte do pasto, tem um monte no caminho de todas as faixas etárias! Mas vi também cabritos, um touro preto no meio da pista encarando nossa moto, lobo, passarinhos de todos os tipos e uns bichinhos que não sei o que são =)

?

Chegamos de noite no nosso destino Valle Fértil (será que a Difunta ajudou a gente?!) e ficamos no Hostel Campo Base e era muchoooo locoooo!!!! O lugar era completamente sem dono, entrava e saia quem queria, enquanto fazíamos nossa comida todo mundo se juntou na cozinha e começou a bebedeira, israelessnses, franceses, brasileiros, argentinos, ingleses, todo mundo falando um espanhol enrolado com direito a Dragons Breath, Fernet com Coca, argentinas com caras de bruxa paquerando meu namorado, francesa muda que não entendia nada que ninguém falava, inglês que passei a noite inteira chamando ele de Harry por causa do Harry Potter, o funcionário do Hostel que tinha um cabelo que parecia um cachorro doido nos explicando que mescalina é a melhor coisa do mundo, um cara que chamava Gringo mas na verdade era argentino, Eu e Rafa dançando forró no meio da cozinha, depois funk do “Creu” até a velocidade 4, porque na velocidade 5 nem sóbria, hehehehehehe.

Começo da bebedeira...

Aposto que vocês descobrem quem
a argentina com cara de bruxa, hahahaha

Dia seguinte tem Dinossauro! Ebaaaaaaa =)

5 comentários:

CIGANOrj disse...

Adoro!!!!!
Cintia desculpa, mas nessa foto, todas parecem bruxas!!!

aguardo os dinos...

Jq disse...

Kkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkk
Quanta coisa de maluco!!!!
O que é mescalina??? Traz prá mim!!!!
E aquele bicho mais esquisito? O que era? E essa defunta??? Genteeee..... quanta coisa esquisita junta!!!!

CFL disse...

A mescalina é um alucinógeno extraído do cacto peiote (Lophophora williamsii)..........

Se quiser posso levar um cacto!!!!! =P
hauahuahauhaahuaha

Cinnnn

CIGANOrj disse...

Eu ia adorar o cacto!

Anônimo disse...

Cintia, cabe ais um nesta moto, é que eu estou querendo ir tbem.
mãe